Follow Us

Hold My Hand, a canção tema de Top Gun: Maverick, por Lady Gaga

Hold My Hand, a canção tema de Top Gun: Maverick, por Lady Gaga

E eis que saiu a esperada canção tema de Top Gun: Maverick depois de semanas de expectativa que, pelas mãos de Lady Gaga ganhou o dobro ou nada na cota de expectativas….

(E nem vamos falar neste post sobre a expectativa para o filme, porque esse tema dá sozinho o seu próprio post, né)

Aliás, já tirando da frente essa coisa da expectativa: todo ser humano que vive na face da terra e conviveu, de alguma forma, com o legado de Take My Breath Away e Top Gun Anthem sabe que seria absurdo esperar um single na mesma altura e proporção do estrondoso sucesso anterior (e o mesmo vale pro filme). A primeira ganhou o Oscar de melhor canção. E o álbum com a trilha de Top Gun vendeu 9 milhões de cópias na época (dá pra acreditar que o Judas Priest recusou a inclusão de Hacklass no longa por acharem que o flme seria um fracasso? Vacilões….).

Porém, obviamente tínhamos uma grande espera por trás de uma continuidade. Seja no estilo, no impacto… E quando o assunto foi impacto, os caras tentaram já colocar um pé no acerto deixando a missão para Lady Gaga, que sozinha já causa impacto suficiente em qualquer projeto que se envolva. Isso, no entanto, dobra automaticamente a aposta das expectativas, mesmo sabendo que dificilmente o que viesse bateria o amor cultivado por anos na construção de Berlin…

Aí chega o tão esperado lançamento na tarde de ontem! E vamos conferir antes de continuar comentando:

Bom…. agora vamos lá…. por partes…

Tentei tirar de mim a capa da expectativa para dar chance ao novo. E olha que não sou uma pessoa difícil de agradar quando a música tem uma batida que consegue conversar com a alma (e a Gaga é boa nisso em trilhas sonoras!).

Mas a coisa foi meio morninha quase a canção toda, à exceção da boa caracterização no cenário típico da aviação, que seria praticamente obrigatória em qualquer caso (0or um momento, nos 00:16, achei até que era a Kelly McGillis que aparecia na tela olhando rápido – foto capa deste blogpost – e soooobe expectativa… rs)

Achei que ia caminhar até o final meio decepcionada… Mas teve uma curva positiva. Já falo dela já já…

Bom, decidi ouvir de novo, dessa vez com fones. Aí a música melhora. Os graves se tornam mais marcantes e presentes e aquela coisa de conversa com a alma começa a aparecer de leve, quase como um sussurro… Maaaaas continua sendo mais morninho que o clássico dos anos 80…

Do 01:17 em diante entra a primeira batida que começa a trazer a conexão com os anos 80. Até então poderia ser só uma canção contemporânea.

Mas o auge do single está nos 03:06. É nesse momento que finalmente entra em cena o arranjo de guitarras que se tornou uma marca de Top Gun desde os anos 80.

Sobre a letra, ainda acho cedo para opinar… Como não vi o longa, acho que analisar a história pode ser fundamental para ter uma visão mais limpa da coisa. A composição fala sobre confiança e não abandonar, e isso pode ser lido de diversas formas – seja na relação de Maverick com o filho de Goose ou com a nova namorada (#SaudadesCharlie).

E aí temos o clipe…. Uma música assim não pode ser analisada sozinha.. O clipe é sempre importante!

Aqui os caras começaram bem a conexão com o filme anterior, mostrando as fotos e lembranças de Maverick e Goose, incluindo o acidente que levou nosso adorado Goose. E aí o longa já coloca em pauta que Maverick continua tendo um espírito problemático e cheio de traumas por toda a vida (ants seu pai, agora Goose). Aos poucos, os elemntos vão todos surgindopara complementar o entendimento: as antigas paixões como sua moto, aviação, sua ousadia e fugir ao tradicional jogando a apostila do curso fora, agora como instrutor…. e as novas paixões, Penny, seu par romântico da vez, e Bradley, filho de seu antigo parceiro.

No clipe o auge dos 03:06 acontece justamente quando um caça corta os céus (e o som dele é um ponto fundamental aqui, que só tem no clipe e não no áudio da trilha) enquanto Gaga se desdobra sobre o piano botando a voz pra jogo, seguida por cortes rápidos de cenas que trazem à tona todo o clima característico de Top Gun com aviação, troca de olhares, diversão no bar, gatos descamisados jogando volei e o fecha com o inconfundível sorriso de Cruise….

Eu não entendo muito de conceito musical e nem sei os termos corretos para explicar o que estou pensando em linguagem musical, então perdoem minha literal ignorância e qualquer coisa que tenha parecido confusa.

Gaga certamente estudou muito a trilha do primeiro sucesso Top Gun e trouxe diversos elementos que pudessem conectar o novo longa à história predecessora. E de cara, na primeira vez que você ouve, não dá pra notar isso não. Depois de ouvir por algumas vezes, fica mais claro.

Logo, pra um estudioso de música, talvez isso fique notável já na primeira audição, mas para o público geral não. E é por isso que talvez os fãs mais calorosos (e com expectativas altas) não sintam na primeira vez o calor esperado. Mas com o tempo pode melhorar e ganha rum espacinho no coração…

Mas não foi só em Hold My Hand que Gaga participou não… Ela ajudou em toda a trilha sonora ao lado de Lorne Balfe (figura presente em trilhas) e Hans Zimmer (tem algum projeto de trilha de cinema em que esse cara não está???). E o Harold Faltermeyer também está de volta, claaaaaro né! O grande responsável por Top Gun Anthem, que ficou eternizada por ele nos teclado se Steve Stevens na guitarra. Esse clássico instrumental também está presente na trilha e ganhou releitura modernizada (bem boa por sinal!!!). Aí no trailer dá pra conferir um pedacinho:

O tracklist oficial foi divulgado no mesmo dia do clipe e como mostra poucas canções deve ter muita coisa instrumental no longa.

Entre as clássicas do longa anteror, Danger Zone está lá novamente, para nossa alegria, assim como Great Balls of Fire. E se tem uma canção que não está na trilha mas eu aposto alto como deve aparecer no longa, mesmo que como um pequeno detalhe, é You’ve Lost That Loving Feeling (que ganhou quaaase a mesma proporção de Take My Breath Away)…. Aguardemos!

Agora é esperar para conferir o longa (que já sabemos que tem pontinha, mesmo que breve, de Iceman siiiiiimmm!!! E sooobe expectativa rs) com lançamento para o dia 27 de Maio, FI-NAL-MEN-TE, após dois anos de pandemia e muita polêmica nos bastidores da produção com as crises e surtos do antes-astro-e-agora-mal-resolvido-mas-que-ainda-tem-um-sorriso-lindo Tom Cruise.

Enquanto isso, espia aqui o nosso mini flashback!

Ai meu coração….

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.