Follow Us

Descoberta musical de dezembro: Bleachers

Descoberta musical de dezembro: Bleachers

Se você gosta das canções que foram eternizadas e marcadas
pelas trilhas sonoras dos filmes de John Hughes, PRECISA conhecer Bleachers. Ou
se você curte MisterWives, Haim, 1975, Veronicas e similares, também.

Muito bem… Hoje eu acordei a fim de ouvir algo completamente
diferente do habitual, leve e capaz de despertar minha mente. E como eu não
tenho corrido há muito tempo, pá: playlist de corrida aleatória do Spotify!
Lá fui eu… Peguei a
primeira que apareceu na pesquisa e play nela… Estava indo tudo bem… Portugal
abriu a lista, Maroon 5 deu as caras, coisa e tal… Aí de repente toca uma tal
de “Rollercoaster” que me projeta no mesmo instante para um daqueles momentos Sessão
da Tarde no baú de memória… Dei aquela parada básica no que estava fazendo
para espiar de quem era a música: Bleachers. Nunca ouvi falar…
Ia continuar na lista de corrida… Mas passou uma, duas,
três músicas e tudo perdeu a graça depois do tal Bleachers. Fui lá e click!
Bora ver o que mais tem no álbum desses caras… E que surpresa boa!
Se você era fã dos filmes de John Hughes, imediatamente vai
pensar se essas músicas não eram trilha de filmes dele… A familiaridade com a
batida das canções que embalaram Clube dos Cinco, Gatinhas e Gatões, Curtindo a
Vida Adoidado, Mulher Nota Mil e a Garota de Rosa Shocking é inacreditável.
Então, enquanto eu ouvia “Don’t Take The Money” e sua letra
tão cativante e emblemática que poderia ser o par perfeito de “Dont You Forget
About Me” (tão bem encomendada para o Simple Minds especialmente para Clube dos
Cinco e eternizada por Bender naquele final poético), fui pesquisar se não era
mesmo trilha dos filmes…. E não, não era… Mas tem motivo para parecer!
Wikipedia: 

Bleachers é
um projeto musical de indie pop iniciado em 2014 por Jack
Antonoff, integrante de bandas como Steel Train e Fun. A música produzida
pelo projeto é altamente influenciada pelas canções dos anos 1980s, assim
como os filmes sobre colegiais de John
Hughes
, que serviu de inspiração para o nome do projeto
”.

Ahááááá!!!! Eu sabia….
Mas não é por isso que Bleachers fica limitada a parecer uma
banda presa na década de 80. Está lá a participação de Sia em “Like a River Runs” em uma melodia atemporal e que caberia como uma luva em qualquer tempo ou
espaço. E tem também Lorde em uma parceria na própria “Don’t Take The Money” acústica.
Continuando o mergulho musical, “Hate That You Know Me”, “Wild
Heart” e “I Miss Those Days” são as músicas
que conectam Bleachers aos fãs de MisterWives, Haim, 1975 e Veronicas.
“Lets Get Married” (na versão original e especialmente a versão MTV
Unplugged) te faz ter um deja vu sobre estar assistindo algum filme com o John
Cusack e sua adorável carinha de cão sem dono sofrendo por amor… E aí nem importa se é anos 80, 90 ou 2000… Mas é tão a cara de Cusack….
Fico imaginando o quanto deve ser incrível estar em um show
desses caras… A energia deve ser única. E me pergunto como foi que eu só
descobri a existência desses fofos agora… Talvez seja por não ter visto ainda Love, Simon, que teve “Wild Heart” em sua trilha sonora. E que notícia boa
isso! 
Aliás, note como tantas fórmulas de comédia romântica do cinema e nas séries estão
recuperando as boas canções e estilos do passado… Aconteceu em “Love Rosie”,
agora “Love, Simon”, mas também podemos citar “Como eu era antes de você”, “A
Culpa é das Estrelas”, “Para todos os garotos que amei”, “Stranger Things” e outras, que apesar de também trazerem hits novos, flertam com o estilo
que marcou a década em questão.
Eu poderia ficar aqui o dia todo escrevendo sobre como cada
música de Bleachers traz um sentimento ou recordação. Mas acho que é justamente
sua inspiração oitentista que tem esse poder de despertar  algo tão
familiar e cativante, tornando o projeto incrivelmente especial e particular para quem
tem boas lembranças das décadas de 80 e 90. 
Então vou resumir: apenas ouça. Dê uma
chance e se surpreenda.
Na pior das hipóteses você terá feito uma bela incursão
cultural 😉
Sim, eu gostei muito de “Don’t Take The Money”, rs…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.