Follow Us

Away

Away

[ALERTA DE SPOILERS!]

Intenso. Essa é a palavra para descrever da melhor forma possível qualquer coisa que acontece fora da zona de conforto.

E se vivenciamos essa realidade tão bem durante uma pandemia em pleno 2020, tente imaginar as dimensões de seu significado quando você é uma das cinco pessoas que vai enfrentar todos os desafios possíveis para serem os primeiros desbravadores humanos em Marte.

É com essa mesma intensidade que Away deixa o espectador em cada um dos 10 episódios que contam a trajetória de Emma, Kwesi, Misha, Lu e Ram até o planeta vermelho.

Hilary Menina de Ouro Swank conduz com a maestria de uma veterana premiada aquela que poderia ser apenas mais uma série sobre o desejo maior do ser humano em conquistar o espaço. Mas sua capacidade de gerar conexão com o espectador e um elenco afiadíssimo deixam a tensão a flor da pele a cada cena. Seja na aeronave com seus infinitos dilemas e desafios ou na Terra com a família que deixou para trás em busca de um plano maior, é quase impossível não simpatizar com a causa e as emoções de cada um dos astronautas.

Nas mãos habilidosas de roteiristas que desenham uma história quase poética sobre o sonho de tantas crianças, aos poucos as camadas de cada personagem vão sendo reveladas durante o enredo de Away. Histórias, passado, traumas, dores, intrigas, segredos, desejos ou o simplesmente complexo motivo de estarem ali.

Ao contrário da maior parte dos filmes que retratam o tema, em Away os astronautas não foram selecionados por suas habilidades mecânicas para perfurar um asteroid e evitar o Armageddon ou porque um fazendeiro recebeu um chamado cósmico por um buraco de minhoca. Não. Os tripulantes de Atlas trabalharam a vida toda para estarem ali, para serem os desbravadores de marte. Foram treinados e dedicaram até o último suor para fazer jus àquelas cinco cadeiras.

Mas a missão, mesmo sabidamente complexa, vai testar todos os limites de cada um. E é praticamente impossível esconder algo no ônibus marciano, convivendo com cinco pessoas em espaços limitados por três anos e com todas as restrições possíveis. Nervos vão aflorar, sentimentos vão surgir e tudo que você menos imaginar vai acontecer – Famílias com casas bem maiores não resistiram à pandemia… Imagine enfrentar um vírus em uma cápsula espacial e sem possibilidade de retorno.

Enquanto a comandante Emma tem a dura tarefa de manter a equipe em harmonia e lidar com a divisão parcial de quem não concorda com suas decisões, na Terra ela tem outro desafio para superar: sua filha adolescente, um marido que teve derrame como consequência de uma doença genética quando a astronauta ainda está na Lua, antes de “embarcar” numa viagem de oito meses para Marte. A decisão de prosseguir não foi de Emma, mas de seu marido, que pede a ela que continue. Matt, interpretado à altura pro Josh Charles, também treinou para estar lá, mas sua doença o eliminou da missão e ele depositou seu sonho em Emma. Quando a filha do casal, Alexis, nasceu, Emma pensou que seria o fim de sua carreira, mas é o apoio do marido que a permite estruturar toda sua vivência para seguir no propósito. E agora ele vai enfrentar sozinho a barra de não saber se a esposa volta pra casa viva enquanto lida com uma nova rotina criada em torno das sequelas do seu derrame, sem saber se um dia voltará a andar.

Estar longe da família quando ela mais precisa de você não é uma tarefa fácil. Sobretudo em situações intensas em todas as pontas. E quantas vezes enfrentamos isso de modos diferentes em nossas vidas, parecendo que, de repente, tudo fica de cabeça pra baixo?

Apesar de não ser baseada em fatos reais, o criador de Away, Andrew Hinderaker, se inspirou para escrevê-la quando leu um artigo na Esquire, escrito por Chris Jones, que foca a missão de seis meses do astronauta Scott Kelly a bordo da Estação Espacial Internacional. Durante essa temporada, sua família passou por uma crise quando sua cunhada levou um tiro. E o próprio Hinderaker sentiu na pele a sensação quando estava trabalhando em uma peça em Chicago e recebeu a notícia de que sua esposa, com quem era casado há quinze anos, foi diagnosticada com uma terrível doença.

E é exatamente aí que se concentra a maior riqueza de Away: nos detalhes. Acima da ciência e da tecnologia (que deixa tantos pontos falhos pelo caminho), é a humanização da história que enriquece a trama. Mesmo os mais frios ou céticos não resistem à intensidade da galáxia.

Essa primeira temporada não teve um episódio sem pelo menos uma descarga de tensão, drama e adrenalina ao mesmo tempo, com todos os pontos muito bem costurados (ou grampeados, digamos – e aquilo deve ser muito doloroso!). Mas se nesta primeira fase acompanhamos apenas a trajetória de oito meses até o planeta Vermelho, o que não falta é enredo para acompanharmos o tempo de permanência na nova casa dos tripulantes e a volta para a Terra, que rendem pelo menos mais duas temporadas, pela lógica. Sobram portas abertas para serem trabalhadas na próxima temporada, como o complexo relacionamento entre Emma e Ram ou ainda Matt e Melissa em Terra.

Quando vi a primeira notícia sobre Away com a foto de Hilary, Josh e uma nave espacial, nem precisei ler o texto para saber que queria assistir. Mesmo com meu sonho de criança frustrado, o coração de quem nunca se tornou astronauta sempre guarda espaço para aventuras. Eu já tinha curtido a leveza cômica de Space Force com todos os absurdos que só Steve Carrell é capaz de criar tão bem (aliás, vale a diversão. O comediante brilha ao lado de John Malkovich e te faz cantar Kokomo do Beach Boys com direito a coreografia por pelo menos uma semana).

Com episódios de quase uma hora, eu devorei Away em três noites. Posso dizer facilmente que a viagem espacial custou meu sono em plena semana agitada no trabalho. Mas assim como bem definido nas últimas palavras da tripulação antes do pouso em Marte, “valeu a pena”.

Atualização sobre a continuidade de Away

Infelizmente há poucos dias a Netflix informou o cancelamento da série… Dá pra imaginar que era um orçamento bem alto mesmo para o tipo de produção, mas como ficam nossos corações sem saber se Emma volta pra casa?!!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.